Imprimir

 Contexto Histórico

Há um século o Município era habitado por índios que por aqui deixaram apenas vestígios, pois, com a chegada dos primeiros colonizadores, foram afastando-se por entre a mata espessa que, provavelmente, oferecia maior segurança. Atualmente os descendentes desses índios vivem em reservas controladas pela FUNAI (Fundação Nacional do Índio), em Nanoai, Cacique Doble e outros.

Os primeiros colonos vieram em carroças puxadas por mulas, pois estas demonstravam maior resistência durante o longo percurso até as “novas colônias”. O caminho até as terras compradas era, na maioria das vezes, aberto pelos próprios colonizadores que vieram para cá em busca de uma vida melhor. 

 O fundador de São Jorge mudou-se para cá com sua família por volta de 1930. Descendente de luso-brasileiros, o Sr. Pedro Nunes da Silva residiu primeiramente na Canhada Bonita. Muito amigo do Pe. Felix Busatta que visitava periodicamente a comunidade, anteriormente denominada “Ponte de Guabiju”, doou meia colônia de terra para que fosse construída a primeira Igreja cuja bênção foi dada em 13 de agosto de 1939 juntamente com a imagem do padroeiro, São Jorge, que “seu Pedro” teve a felicidade de escolher e, cujo nome, mais tarde foi dado ao Município.

Nas terras doadas pelo fundador do Município foi “construída a primeira Igreja e a escola na qual as aulas eram ministradas pelo professor Elias Martini. Próximo a elas, instalaram-se os primeiros estabelecimentos que vendiam produtos de primeira necessidade aos moradores do povoado que estava se formando”.

A população local passou por todas as dificuldades, desde a falta de energia ou mesmo atendimento médico, dificuldade de comunicação

A partir de 24 de fevereiro de 1956, a Vila São Jorge passa a ter luz durante o dia também. Seguem-se 15 anos de muita insistência, no dia 20 de junho de 1968, foi ligada a “luz do Estado” após retirada a rede da Paróquia. No dia 06 de julho foi inaugurada e ligada a iluminação pública pelo representante do governador da época - Sr. João Dentice - chefe da casa civil do Palácio Piratini.

No ano de 1998 teve início no município o projeto de implantação de redes de eletrificação rural- PROLUZ- beneficiando 78 famílias. Com o programa Luz Para Todos, atualmente 100% da população municipal dispõe de energia elétrica em suas residências.

Dentro da realidade gaúcha, anterior aos anos 1970, onde a população concentrava-se mais na zona rural que na urbana, a história da vila de São Jorge dessa época demonstra que ela seguiu esta orientação espacial.

O município de São Jorge emancipou-se em 30 de novembro de 1987, de Nova Prata. É composto de uma área de 118 Km2 com uma altitude de 640m na sede, está localizado na região Nordeste do Estado do rio Grande do Sul, na Microrregião de Guaporé.

O município São Jorge foi criado pela lei Estadual nº 8427, e instalado em 01/01/1989.

Distante 224 Km de Porto Alegre, limita-se ao Norte com o município de Ibiraiaras, ao sul com Guabiju e Parai, a leste com Ibiraiaras e a oeste com os municípios de David Canabarro e Vanini.